.

O Honrável Morihei Ueshiba

Ueshiba O´Sensei nasceu a 14 de Dezembro de 1883 na Vila de Tanabe, hoje prefeitura de Wakayama, à beira-mar. O seu pai exercia algum poder nesta região pois, além de ser abastado, durante muitos anos fez parte do conselho municipal. O’Sensei foi o quarto filho e primeiro varão do casal, o que muito alegrou esta família tradicional. Durante a juventude a sua constituição física era fraca o que motivou o seu pai a tentar todo o possível para fortalece-lo, como atravéz da alimentação e da prática de artes marciais.
Aos dezassete anos foi viver em Tokyo, e com a ajuda de outros familiares ricos, montou uma papelaria. Contudo, não se deu muito bem neste campo, e também associado ao fato de ter apanhado barbaramente, ainda não tinha passado um ano quando deixou Tokyo. Apesar disto, a sua estada em Tokyo permitiu-lhe começar o seu estudo sério das artes marciais, ao entrar para a escola de Tenjin Shinyo Ryu Jujutsu.
O’Sensei voltou para Tanabe onde conseguiu se recuperar totalmente e, aos 20 anos, alistou-se no serviço militar. Foi nesta altura que também estudou Yagyu Shingan Ryu. Por volta dos 23 anos saiu da tropa e em Tanabe estudou também um pouco de Judo com um jovem instrutor que seu pai mandara vir da sede de Judo, o Kodokan de Tokyo, para ensinar a juventude local.
Em 1912 O’Sensei parte para Hokkaido liderando 54 famílias, inserido num projeto governamental de colonização da ilha. Estabeleceu-se no norte e fundou uma pequena povoação que mais tarde viria a ser chamada Shirataki. As condições nesta região eram especialmente duras durante o inverno tendo o grupo passado por grandes dificuldades. Sobreviviam nesta região inóspita através da agricultura e comércio de madeiras. Durante algum tempo, O’Sensei também foi membro da câmara municipal.
Este local foi muito importante na história do Aikido pois aqui O’Sensei conheceu o excêntrico e extraordinário artista marcial que era Sokaku Takeda Sensei. Takeda Sensei era o líder da escola Daito Ryu Jujutsu caracterizada por centenas de técnicas complicadas de jujutsu incluindo projeções, controles e imobilizações. Takeda Sensei foi também um perito na arte do sabre (ken), do leque de ferro (tessen), de lançamento de dardos (shuriken) e muitas outras armas.
O’Sensei tinha 32 anos quando se encontrou com Takeda Sensei, em Fevereiro de 1915, na vila de Endaru. Com a ajuda de seu pai que lhe enviava largas quantias, estudou Daito Ryu adquirindo uma grande perícia na arte. Neste espaço de tempo tornou-se um dos melhores alunos de Takeda Sensei.
O Daito Ryu constituiu a base de todas as técnicas do Aikido, que mais tarde O’Sensei desenvolveria em Iwama.
Em 1919, ao receber um telegrama, O’Sensei soube que seu pai estava gravemente doente. Doando a sua casa a Sokaku Takeda Sensei, partiu para Tanabe. Durante a longa viagem para Tanabe, O’Sensei ouviu falar de um curandeiro com extraordinários poderes de cura e decidiu desviar-se da sua rota para lhe ir pedir pela recuperação de seu pai. Foi nesta altura que conheceu Onisaburo Deguchi, um personagem altamente carismático e líder do Omotokyo, uma seita shintoista.
Ao chegar finalmente a Tanabe, Yorokusan, pai de O’Sensei, já havia falecido. Perdido de dor e sem saber o que fazer, O’Sensei decide então voltar a Ayabe, local onde estava sediada a seita de Onisaburo Deguchi, levando a sua família. Dentro de pouco tempo, através da sua dedicação, O’Sensei tornou-se um membro importante da seita e Onisaburo Deguchi, entusiasmado pelas habilidades marciais de O’Sensei, pede-lhe para ensinar aos membros da seita Omoto. O’Sensei estabelece então o Ueshiba Juku.
Em 1922 chega a Ayabe Sokaku Takeda Sensei, com toda a sua família. Ali ficaria durante seis meses, colocando O’Sensei numa posição desconfortável, pois Onisaburo Deguchi tomou uma aversão imediata ao excêntrico e irritável Takeda Sensei.
Takeda Sensei ensinou o Daito Ryu a muitos membros da seita Omoto e inclusive premiou O’Sensei com uma licença de ensino, antes de partir.
Em Fevereiro de 1924, O’Sensei parte para a Mongólia seguindo Onisaburo Deguchi que tinha como intenção formar um estado religioso neste país. Na Mongólia passaram por muitas aventuras mas, por se terem associado com um comandante militar rebelde, foram presos e sentenciados à morte. Mesmo no último instante, e já em frente ao pelotão de fuzilamento, aparece o cônsul japonês, que os salva.
Voltaram depois para Ayabe onde O’Sensei continuou-se a dedicar-se aos estudos e ensino do Daito Ryu. Nesta altura começou a ensinar em várias instituições militares. Além disso, devido à sua fama crescente, muitos militares de alta patente, e políticos, entraram para a sua escola. Entre eles está o Almirante Isamu Takeshita que se tornou um grande apoiador de O’Sensei, e muito contribuiu para o desenvolvimento da arte.
Mais tarde O’Sensei move-se para Tokyo onde se dedica a ensinar a tempo inteiro. Através do apoio do Almirante Takeshita, consegue introduzir-se nos círculos sociais mais altos, o que muito contribuiu para a expansão da sua fama e arte. Também com o apoio do Almirante e de outros, compra um local no bairro de Shinjuku onde abre o Kobukan, conhecido como o “Dojo do Inferno”, pela austeridade do treino que ali se praticava.
No Kobukan estudaram como residentes, alguns dos alunos que contribuiriam para tornar o Aikido famoso: Kenji Tomiki, Minoru Mochizuki, Rinjiro Shirata e Gozo Shioda.
Por volta de 1935, O’Sensei começa a distanciar-se de Takeda Sensei, os alunos de O’Sensei se alistam no serviço militar. O Kobukan fica praticamente vazio e O’Sensei retira-se para a vila de Iwama onde havia comprado algumas terras, monta um pequeno dojo, que ainda hoje existe, e dedica-se à agricultura, ao treino intenso e à meditação.
Finalmente com a oportunidade de se concentrar no treino, O’Sensei dedica-se a um estudo profundo de que iria nascer o Aikido. Mesmo em Iwama havia poucos alunos por causa dos estragos da guerra. Nesta altura entra para o dojo Saito Morihiro Sensei que até O’Sensei morrer se dedica a estudar Aikido com este mestre. Saito Sensei estando sempre presente, foi parceiro de O’Sensei durante o nascimento do Aikido. Desta forma este seu discípulo adquiriu conhecimentos profundos da arte que O’Sensei nunca ensinava.
Desde o final dos anos 50 em diante O’Sensei passa a viajar visitando os seus amigos, familiares e alunos, principalmente em Wakayama e Ozaka.
O’Sensei morre em Tokyo a 26 de Abril de 1969, com cancro do fígado. Nos últimos anos da sua vida, teve a possibilidade de ver mais uma vez a expansão da sua arte, agora com o nome de Aikido, a Via da Harmonia com o Espírito. Além de inúmeros Kuden (ensinamentos orais) O’Sensei deixou-nos os Doka, os seus pensamentos e segredos da arte, em forma de poemas.
As técnicas do Fundador foram também guardadas, inalteradas, em Iwama, o local onde nasceu esta arte, Saito Sensei que foi o Reitor do dojo de O’Sensei após a sua morte e Guardião do Templo do Aikido, erguido pelo Fundador, no mesmo local.

Veja também os poemas do caminho (Dokas) escrito por O´Sensei.

“Se houver Vida dentro ti, então terás acesso aos segredos dos tempos, pois a verdade do Universo está em cada um e em todos os seres humanos.”
Morihei Ueshiba