gallery/dojo11
gallery/simbolo-duplo-aikido_000001

O Instituto Tada Ima Dojo

Foi fundado no dia 10 de março de 1998 e atualmente está localizado na Praça Artur Pederzoli, 37 Jardim Paraiso. Durante este período, vem contribuindo para que crianças, jovens, adultos e idosos, de ambos os sexos, tenham uma vida mais sadia e feliz

Objetivo

O Instituto Tada Ima Dojo tem por objetivo a divulgação do Aikido de acordo com técnicas e orientações da Confederação Brasileira de Aikido Brazil Aikikai, liderado pelo Shihan Wagner Bull, para a melhoria da saúde, recursos para preservação da integridade individual e melhoria da qualidade de vida.

Tendo em vista que o Aikido foi criado no Japão, também abrangerá a divulgação de aspectos da etiqueta e tradição da cultura japonesa nas questões concernentes à prática do Aikido. Exprimindo isto de maneira mais direta, pode-se dizer que a essência do Aikido é a Paz e a Harmonia. Todos os movimentos do Aikido, seguem as leis da natureza; são cheios de vigor e força, sem forçar de forma alguma nossos movimentos naturais. Conseqüentemente, pessoas de todas as idades e de ambos os sexos sentem-se atraídas pelo Aikido como uma forma ideal para temperar, forjar e treinar a mente e o corpo.
Nas aulas práticas, usa-se a didática do método repetitivo (reiterada repetição de uma mesma técnica), ao invés do método competitivo. O Aikido é mais do que esporte, porque não busca objetivos relativos como o de uma competição, mas busca, isto sim, os valores absolutos que transcendem os desejos de glória pessoal.

 

Até a eclosão da Segunda Grande Guerra, o Aikido era praticado e ensinado apenas a elementos selecionados da nobreza do Japão, oficiais da guarda de honra imperial, ministros de Estados, oficiais generais, aspirantes da Academia Naval, cadetes da Academia Militar, líderes policiais e aos faixas pretas acima do quinto grau de outras artes marciais, como o Judô e Kendo.

 

 

gallery/renergy_bcgr11

Para se tornar aluno do Tada Ima Dojo, o processo começa com o preenchimento do formulário Pagina de Inscriçoes. Assim que recebermos o formulário, vamos agendar uma entrevista* e convidar para assistir a uma aula, para que possamos avaliar a possibilidade de termos você como aluno*

* menores devem vir acompanhados do Responsável para a entrevista.

O treinamento para (se alcançar o) Aiki-Shizentai

Ordenar o kokyu de todo o corpo, fazer como se o centro de gravidade perpassasse o centro do corpo; deixar todo sentimento de preparo para ação; deixar corpo e espírito livre para a natureza existente. No tempo certo, a energia concentra-se no tanden. Será a postura de livre interação, isto é, o Aiki-shizentai.
Se houver quem o toque será certamente desequilibrado. Isto é porque o (a capacidade de) movimento naturalmente existente no ser humano é ativado instantaneamente. É a manifestação da lei do aikikokyu, do irimitenkan. Neste momento é importante não deixar que uma autoconsciência desnecessária atrapalhe seus movimentos. Normalmente, na ocasião dos treinos, nós agimos para subjugar os oponentes, confiando inutilmente no uso da força. Acreditamos que fazemos a técnica certa de modo certo e forçamos. É difícil parar para refletir. Se a técnica não entrar, pensamos que o problema está na técnica, não em nós. Nem se tenta pensar que o que se faz são competições, matanças mútuas, esforços e empenhos inúteis. Como em geral (as pessoas) são sérias e sinceras, o conserto torna-se difícil.
Acredita-se que os mestres antigos de budo, apesar de em diferentes representações, ditaram a importância do shizentai verdadeiro. No Shinkageryu é instruído que onde há kamae chama-se satsu (morte) e onde não há kamae chama-se katsu (vida). Musashi desaconselhou firmemente que o corpo e o espírito perdessem as suas naturezas. Estes ensinamentos são de peso, por virem de pessoas que caminharam por campos de guerra e sobreviveram a inúmeras batalhas de vida ou morte. De toda forma, pode-se pensar que o aikishizentai é a fonte da manifestação das técnicas do Aikido e, o atingir a realização de sua autoconsciência seria o fim extremo, pergunto-lhes o que achariam.
Sobre o treinamento de Daiikkyo
Conta-se que no Ittoryu, aquele que conseguisse inventar (apreender) o corte da vitória certa, sendo aiuchi sem o ser, obteria imediatamente a licença (menkyo), por mais iniciante que fosse. Isso mostra a sua máxima importância, mesmo dentre todas as técnicas de espadas, ditas de mil mudanças e dez mil disfarces.
Acredita-se que o Aikidaiikkyo é a técnica que sempre está à altura do importante significado que traz. Desta vez penso em, neste treinamento, enfocando nesse ponto, pesquisar o assunto. Penso que (dessa forma), tanto o corte ittosetsudan (‘corte de uma espada’), o omote-ura, o osae (chave) das mil mudanças e dez mil disfarces, o nage tornar-se-ão mais claros.

Treinamento de primavera do ano 61 da era Showa (1986)
Seigo Yamaguchi

gallery/yamagushi

Keiko

A mente e a filosofia de Matsuo Haruna

Como artista marcial (pelo menos um jovem artista marcial), como pessoa que acredita e pratica o Budo, acredito ser muito importante o estudo da história e das origens da arte escolhida, e também das outras artes. Para mim, conhecer o máximo possível sobre quem, onde, por que e como em relação às raízes de uma arte marcial é crucial para a completa compreensão dela, o que eu creio que dá à prática um significado mais profundo e completo. O estudo da história das artes marciais permite que se pegue o que é antigo e o aplique ao que é novo; compreender o antigo – às vezes ancestral – princípio de nosso estudo nos dá a habilidade de encontrar uma razão para nosso treino de hoje. A sociedade, a época e as armas podem variar, mas os princípios do antigo permanecem os mesmos, como as raízes de uma árvore, afetando e influenciando a humanidade em um nível abaixo da superfície.

Acredito que o estudo de sua história também é uma forma de homenagem e respeito às pessoas que são os pioneiros destas artes. Todas as formas e estilos de combate começaram com estes indivíduos colocando totalmente suas energias criativas e suas vidas no desenvolvimento de uma forma física, mental, e espiritual de autodefesa. Mesmo que nenhum verdadeiro artista marcial ou sensei aceite esta forma de “adoração”, é a estes homens e mulheres que devemos nossas práticas.
Dito isso, decidi devotar este artigo a outro indivíduo que, do meu ponto de vista, serviu como inspiração e fonte de direcionamento para muitos Iaidoka. O que eu descobri sobre este homem é o que eu acho que deve ser compartilhado. Suas realizações e sua atitude em relação a keiko é algo que todos podemos usar como aprendizado. Este homem é Matsuo Haruna Sensei.
Uma das coisas mais impressionantes que descobri sobre Haruna sensei é que ele começou a treinar já com idade avançada. Ele nasceu em 1925, mas ó começou a treinar iaido em 1972 – com 46 anos de idade. É uma idade em que as pessoas acham que são muito velhas para começarem qualquer coisa, quanto mais começar a treinar uma arte marcial! Mas Haruna sensei fez isso, e obteve grandes progressos no curto período entre 1972 e seu falecimento em 2002. Ele recebeu a graduação de Hachidan, e o titulo de Hanshi, no Muso Jikiden Eishin Ryu.
Ele foi o professor exigente e diretor do Musashi Dojo de Ohara, que recebeu o nome do lendário espadachim Miyamoto Musashi. Ele participou de cerca de 250 competições locais e nacionais e de demonstrações no Japão; perdeu 12 vezes, ficou em 3º lugar oito vezes e em 2º lugar 28 vezes, e uma dessas vezes foi em sua primeira competição nacional em 1978, em que ele ficou em segundo lugar. Ele recebeu o prêmio de Melhor Espírito de Luta 45 vezes, e o prêmio Espírito de Luta Especial (que é acima do “Melhor”) 15 vezes. Nas demais vezes, ele venceu.
Apesar de seu impressionante registro de competições, Haruna sensei não treinava para shiai. Para ele, shiai era apenas outra forma de treinamento. Ele acreditava que não importava o que fosse, shiai – demonstração, competição, exame – ou keiko (prática), sua atitude deveria ser exatamente a mesma – e é essa atitude é o que você deve treinar, como se sua vida dependesse disso!! Haruna sensei acreditava que a chave para o desenvolvimento de seu treinamento é levá-lo a sério. Sem essa atitude, sua prática sofre, e sua habilidade também. É a concentração, e um profundo foco nos fundamentos, o que permite o avanço de uma pessoa.
Apesar de eu nunca ter tido a oportunidade de estudar ou treinar com Haruna sensei, agradeço por sua vida, sua influência e sua contribuição para o iaido e os iaidoka. Isso reforçou minha compreensão, e tenho certeza que de outras pessoas, das artes marciais.

Haruna Matsuo Sensei, shitsurei shimasu!!!

Tradução – Jaqueline Sá Freire (Brazil Aikikai – Hikari Dojo – Rio de Janeiro)